Aplicativo espião no Facebook coletados dados a partir de 187 mil pessoas a TOMAR

App espião do Facebook coletou dados de 187 mil pessoas
App espião do Facebook coletou dados de 187 mil pessoas

Facebook: Ações da empresa derretem em meio a escândalo de vazamento de dados

Facebook: a Investigação partiu para recolher as conversas privadas que são enviados entre o WhatsApp e o Facebook Messenger, além de pesquisa e atividade de navegação (Dado Ruvic/Ilustração/Reuters)

O Facebook tem recolhido os dados pessoais de 187 milhões de usuários por meio do seu aplicativo espião para Facebook de Investigação, que foi banido da app store da Apple neste ano devido a uma violação das regras de conduta da plataforma. O site de notícias TechCrunch, a quem foi dado o acesso a documentos sobre o assunto.

A rede social revelou detalhes sobre o caso, em uma carta enviada ao senador norte-americano Richard Blumenthal. A empresa disse que os dados coletados a partir de 31 mil usuários nos Estados Unidos, incluindo a 4,3 mil milhões de adolescentes, a maioria dessas informações, no entanto, tem sido coletados de usuários da Índia.

O Facebook está fornecendo os esclarecimentos às autoridades, porque o caso é revelado no final de janeiro, pelo TechCrunch. O relatório também disse que a rede social que lhe paga us$ 20 por mês para usuários que topassem usar um aplicativo de pesquisa para a empresa, no Facebook Investigação. A opção estava disponível para usuários de smartphones, com idades entre 13 e 35 anos de idade nos Estados Unidos e na Índia.

 

Veja também

Esta semana, na companhia de Mark Zuckerberg de re-lançar o aplicativo, procure o nome do Estudo — que estará disponível na app store, a Google, para usuários que tenham sido aprovados pela empresa de Aplausos, um parceiro no Facebook. A rede social disse que vai ser transparente na coleta dos dados dos usuários. O vice-presidente de políticas públicas do Facebook, Kevin Martin, defendeu a empresa, dizendo que pesquisas como esta são “relativamente bem conhecidos na indústria.

Compreender a natureza do caso, o aplicativo espião Facebook

De acordo com o TechCrunch, o aplicativo espião para Facebook de Investigação, dando-lhe acesso completo para a acção de informações do usuário do telefone móvel para a rede social nos olhos dos outros. A informação que é coletada pelo Facebook, na época, era a correspondência privada trocados pelo WhatsApp e o Facebook Messenger, além de navegação e pesquisa, imagens e das compras feitas no site da Amazon.

De acordo com a publicação, o programa, chamado de Projeto de Atlas, que tem o funcionamento semelhante ao do aplicativo de rede privada virtual (VPN (virtual private network, em inglês): Onavo, o banido da loja de aplicativos oficial da Apple em agosto do ano passado. No dia seguinte, a reportagem do TechCrunch, que foi encontrado nas práticas do Facebook, a Pesquisa, a Apple bloqueou e removeu o aplicativo de sua loja.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*