‘Baque enorme’, diz pai que perdeu guarda do bebê por maus-tratos após morte do filho com família acolhedora | Bauru e Marília | G1

‘Baque enorme’, diz pai que perdeu guarda do bebê por maus tratos após morte do filho com família acolhedora
‘Baque enorme’, diz pai que perdeu guarda do bebê por maus tratos após morte do filho com família acolhedora

Velório do bebê Leonardo Theodoro Rodrigues de Oliveira, de dois meses, que morreu de traumatismo craniano — Foto: Reprodução TV TEMVelório do bebê Leonardo Theodoro Rodrigues de Oliveira, de dois meses, que morreu de traumatismo craniano — Foto: Reprodução TV TEM

Velório do bebê Leonardo Theodoro Rodrigues de Oliveira, de dois meses, que morreu de traumatismo craniano — Foto: Reprodução TV TEM

O autônomo Adriano Rodrigo, de 26 anos, afirma que ficou em choque ao receber a notícia da morte de seu filho de dois meses por traumatismo craniano, na terça-feira (25).

A criança e seu irmão, de um ano e dois meses, tinham sido retirados da família biológica 20 dias antes pelo Conselho Tutelar de Bauru (SP) sob alegação de maus-tratos.

Rodrigo, que trabalha como músico, diz que os dois filhos que tem com a companheira, de 17 anos, foram recolhidos pelo Conselho Tutelar no último dia 7 de junho e entregues a uma família acolhedora porque estavam com escabiose (sarna).

Após 20 dias sob os cuidados dessa família, o bebê de dois meses deu entrada no Hospital Estadual e morreu por traumatismo craniano.

“Quando o hospital nos chamou, eu e minha esposa achamos que poderíamos abraçar nosso filho de novo. Quando falaram que ele morreu, foi um baque enorme e não conseguimos acreditar”, relata Rodrigo.

A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar a causa da morte do bebê Leonardo Theodoro Rodrigues de Oliveira.

O caso está sob investigação da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) e os investigadores aguardam laudo do Instituto Médico Legal (IML). O caso está sendo tratado como “morte suspeita”.

De acordo com a delegada Alexandra Nogueira, da DDM, todas as pessoas que tiveram contato com serão ouvidas, entre elas integrantes da família acolhedora, os pais biológicos, e funcionários da Fundação Toledo (Fundato), a entidade definida para administrar o programa de acolhimento.

O músico Adriano Rodrigo com o filho Leonardo: O músico Adriano Rodrigo com o filho Leonardo:

O músico Adriano Rodrigo com o filho Leonardo: “Não sabia que todos em casa estavam com sarna” — Foto: Arquivo pessoal

O músico também contesta a versão oficial de maus-tratos que justificou a retirada dos dois filhos e também de dois sobrinhos que moravam na mesma casa, na zona norte de Bauru.

Adriano diz que os filhos passavam por consultas médicas de rotina e em nenhuma delas ele recebeu o diagnóstico de escabiose.

“Nem sabia que as crianças e todos aqui em casa estavam com sarna. Só diziam que era uma alergia, uma ‘coisa de pele’. Tenho laudos e provas que não havia a situação de maus-tratos”, diz o músico.

Apesar de admitir que a morte do filho possa ter sido causada por um acidente, o músico afirma que vai recorrer à Justiça para que os responsáveis paguem pelo fato que ele classifica como “delito”.

O músico garantiu ainda que sua família vem cumprindo todas as exigências feitas pelo Conselho Tutelar para que possa retomar a posse de seu outro filho e dos dois sobrinhos que foram recolhidos.

Polícia Civil investiga morte de bebê de dois meses em Bauru

Polícia Civil investiga morte de bebê de dois meses em Bauru

De acordo com a promotoria da Vara da Infância e Juventude, que supervisiona o Programa Família Acolhedora, a família que estava cuidando da criança está no programa há algum tempo e não tem nenhum registro de ocorrência.

Mesmo assim, a Justiça instaurou um procedimento para apurar se houve irregularidade por parte da família ou da Fundação Toledo (Fundato), a entidade definida para administrar o programa de acolhimento.

A reportagem tentou contato com a Fundato e com Conselho Tutelar, mas não obteve obteve retorno.

No dia da morte da criança, a Fundato afirmou, em nota, que as causas da morte do bebê são desconhecidas. Ainda informou que lamenta pelo ocorrido e irá contribuir com as investigações.

Veja mais notícias da região no G1 Bauru e Marília.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*