Festa das Farc pede reunião com o Duque, depois de recuperar de um de seus líderes | EXAME

Partido Farc pede reunião com Duque após recaptura de um de seus líderes
Partido Farc pede reunião com Duque após recaptura de um de seus líderes

Novo presidente da Colômbia, Iván Duque, em Bogotá 07/08/2018 Fabian Ortiz/Cortesia da Presidência da Colômbia

O duque, presidente da Colômbia: “Neste momento de inegável transcendência para a paz, insistimos na necessidade de o senhor para receber uma delegação do nosso partido”, diz a Farc (Divulgação/Reuters)

Bogotá – O partido das Farc, surgiu a partir da antiga guerrilha do mesmo nome, pediu neste sábado ao presidente da Colômbia, Iván Duque, que recebem uma delegação do movimento político, após a recaptura, na sexta-feira, pelo Ministério público, um de seus líderes, Jesús Santrich, segundos depois de sair da prisão.

“Presidente Duque, neste momento de inegável importância para a paz da Colômbia, insistimos na necessidade de que, logo que possível, o senhor pode receber uma delegação do nosso partido para expor para você, pessoalmente, os nossos problemas”, disse o movimento em um comunicado, depois de uma reunião de seus líderes, em Bogotá.

Neste encontro, a festa, considerada a situação que causou a nova detenção Santrich, por parte do Ministério público, que afirmou ter “novas evidências” de sua participação no tráfico de drogas.

Veja também

 

 

Neste sentido, a Força da Alternativa Revolucionária do Comum (Farc), explicou que a recaptura do ex-líder guerrilheiro “é uma falta de conhecimento da Jurisdição Especial para a Paz (JEP)”, que dias antes havia ordenado a sua liberdade imediatamente.

“A detenção ilegal de Jesús Santrich, forjada na Procuradores, é falta de conhecimento, de Competência específica de Paz, e, portanto, à Constituição Política, para tentar quebrar uma de suas decisões judiciais, enquanto, ao mesmo tempo, tentar minar o pilar fundamental do acordo de paz”, acrescentou o movimento político.

Enquanto isso, Seuxis Paucias Hernández, conhecido como “Jesús Santrich”, foi tirada na madrugada deste sábado para o Hospital Méderi por “alterar o estado de consciência e sinais neurológicos positivo” depois de voltar a ser detidos.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*