Nº de mortes por afogamento em RR chega a 30 nos últimos quatro anos, diz Bombeiros | Roraima | G1

Nº de mortes por afogamento em RR chega a 30 nos últimos quatro anos, diz Bombeiros
Nº de mortes por afogamento em RR chega a 30 nos últimos quatro anos, diz Bombeiros

Corpo de Bombeiros afirma que a maioria das vítimas são homens com idades entre 25 e 40 anos — Foto: Reprodução/Rede Amazônica RoraimaCorpo de Bombeiros afirma que a maioria das vítimas são homens com idades entre 25 e 40 anos — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Roraima

Corpo de Bombeiros afirma que a maioria das vítimas são homens com idades entre 25 e 40 anos — Foto: Reprodução/Rede Amazônica Roraima

Roraima registrou 30 mortes por afogamento nos últimos quatro anos, aponta um levantamento do Corpo de Bombeiros repassado ao G1 nesta quinta-feira (27).

Só no primeiro semestre de 2019, foram seis mortes, o que representa 50% do total registrado em todo o ano de 2018. Os casos foram na capital Boa Vista e outros três em Caracaraí, no Sul do estado.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático (Sobrasa), apesar de Roraima ter a segunda maior redução no número de morte por afogamentos, dentro do período de 18 anos, o estado lidera com 6,61 a taxa de mortalidade por 100 mil habitantes em 2016, seguido por Amapá e Amazonas.

Nos últimos três anos, o Corpo de Bombeiros registrou 24 ocorrências de morte por afogamento no estado, sendo quatro em 2016, oito em 2017 e 12 em 2018, ou seja, uma aumento de 50% a cada ano, como pode ser observado no gráfico abaixo:

Mortes por afogamento em Roraima de 2016 a 2019 Fonte: Corpo de Bombeiros Militar de Roraima

Além do total de ocorrências registradas nos últimos quatro anos, o Corpo de Bombeiros listou outras 30 buscas por corpos em meio líquidos, seja por superfície ou com mergulhadores, na qual as ocorrências foram repassadas à Polícia Civil.

Ainda de acordo com o levantamento, a maioria das vítima são homens com idades entre 25 e 40 anos e os afogamentos ocorrem porque as pessoas tentam atravessar rios e igarapés e acabam se afogando. Também há vários casos de pessoas que ingeriram bebidas alcoólicas antes de nadar e se afogaram.

Para evitar que novos registram ocorram, os bombeiros recomendam que os banhista evitem nadar longas distâncias, façam o uso de coletes salva vidas em embarcações e a não consumam bebidas alcoólicas em grande quantidade antes de nadar.

Além disso, pais e mães devem ter cuidado redobrado com as crianças quando estiverem em ambientes aquáticos ou for conduzir embarcação.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*