San Francisco se posiciona contra o uso de identificação facial pelo governo | EXAME

São Francisco se posiciona contra uso de identificação facial pelo governo
São Francisco se posiciona contra uso de identificação facial pelo governo

Reconhecimento facial

Reconhecimento Facial: san Francisco é contra a decisão nacional (Getty/Getty Images)

São Paulo – A cidade de san Francisco, na Califórnia, acaba de se tornar a primeira cidade dos Estados Unidos a proibir o uso de reconhecimento facial por serviços do governo. A medida foi votada pelo conselho da cidade, e teve 8 votos contra 1 voto contra.

A tecnologia utilizada para o reconhecimento facial é feito através de algoritmos que, por meio de uma foto ou uma imagem de vídeo, compare o rosto humano com as informações fornecidas pelo sistema — que arquiva as informações recolhidas pelo governo. Estas fotos podem ser tiradas em áreas públicas, mesmo sem o consentimento dos indivíduos.

Para Matt Cagle, membro da American Civil Liberties Union, esta decisão representa um grande passo para san Francisco sobre a questão da democracia é justo. “Com esta votação, san Francisco, afirmou que a tecnologia de vigilância facial é incompatível com uma democracia saudável, e os moradores merecem ter uma voz nas decisões sobre a vigilância de alta tecnologia.”, disse Cagle para a BBC.

Veja também

Embora esta tecnologia não será usado pela polícia local e a maioria dos outros 53 departamentos, o de san Francisco Internacional Aeroporto e o Porto de san Francisco, pode usar o serviço, conforme previsto por lei federal. As empresas privadas, assim como de sistemas de segurança e telefones celulares, podem também fazer uso de reconhecimento facial.

Para a medida a ser oficialmente aprovado e assinado pelo prefeito de san Francisco, Londres Raça, o conselho de administração tem voto de novo. Apesar do fato de que dois supervisores estavam ausentes na primeira votação, o resultado final deve permanecer a mesma. A medida deve entrar em vigor na próxima semana, após a segunda votação.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*