Susipe é um celular e a chave de algema durante revista em presídio de Redenção | Pará | G1

Susipe encontra celulares e chave de algema durante revista no presídio de Redenção
Susipe encontra celulares e chave de algema durante revista no presídio de Redenção

Detentos de Redenção durante revista e recontagem após fim de rebelião no dia 12 de maio. — Foto: Reprodução/TV LiberalDetentos de Redenção durante revista e recontagem após fim de rebelião no dia 12 de maio. — Foto: Reprodução/TV Liberal

Os detentos da Redenção durante a revista e contar após o fim da rebelião no dia 12 de maio. — Foto: Reprodução/TV Liberal

A Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe) descobriu, 15 celulares, 6 carregadores, 34 fichas, telefone, quatro fones de ouvido, 3 baterias e 1 chave de algema para uma revista realizada no Centro de Recuperação Regional de Redenção (CRRR) na sexta-feira (17). A ação ocorre após uma rebelião que deixou três detentos mortos no último domingo (12).

De acordo com a Susipe, uma luta entre facções causou a rebelião e a morte. O alvo era um prisioneiro, conhecido como Baiano, que havia sido transferida da Bahia para a Redenção, onde você teria cometido um assassinato e seria julgado na terça-feira (14). Ele era suposto vínculo com a facção PCC. Além da Bahia, outros dois presos foram mortos.

A revista contou com o apoio de 16 policiais Grupo Tático Operacional para a Redenção (GTO), a partir de toda a equipe de agentes penitenciários e diretores de unidade. Na ocasião, também foi realizada a recontagem dos presos, e ajustes de procedimentos operacionais da unidade.

Oito presos, entre eles os líderes da rebelião, foram levados para a delegacia de polícia da cidade e autuados em flagrante por resistência, ameaça e incitação a um motim. Contra eles também vai abrir um Processo Disciplinar Prisional (PDP).

O objetivo é retomar a normalidade dentro da prisão, após o incidente. “O primeiro passo é reestruturar o controle de acesso dos presos ao solário. Nós vamos abrir duas portas, uma na ala e outra ala B, para impedir que o prisioneiro tomar a rota em torno de toda a cadeia. Além disso, o banho de sol vai ser fatiado, ou seja, vai ser divididos por partes, diminui o risco e dá mais segurança para o servidor”, disse o coronel Ricardo Batista, Susipe.

    Seja o primeiro a comentar

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado.


    *